.

.

13/06/2018

Nick Mason vai lançar box set de álbuns solo, “Unattended Luggage” chega em agosto




A caixa “Unattended Luggage” será lançada dia 31 de agosto e traz três dos álbuns solo de Nick Mason, baterista do Pink Floyd. O box vem com os discos “Nick Mason’s Fictitious Sports” (1981), “Profiles” (1985) e “White of the Eye” (1987), os dois últimos em parceria com Rick Fenn, guitarrista do 10cc.

“Unattended Luggage” terá versões em CD triplo ou LP sêxtuplo. Além disso, o material será disponibilizado também nos apps de streaming. Mason também confirma sua turnê pela Europa em Estocolmo, na Suécia em setembro, conforme matéria da Rolling Stone, que você pode conferir abaixo na íntegra. 


“Unattended Luggage”

Tracklist:

Disc: 1
1. Can't Get My Motor to Start - Nick Mason
2. I Was Wrong - Nick Mason
3. Siam - Nick Mason
4. Hot River - Nick Mason
5. Boo to You Too - Nick Mason
6. Do Ya? - Nick Mason
7. Wervin' - Nick Mason
8. I'm a Mineralist - Nick Mason

Disc: 2
1. Malta
2. Lie for a Lie
3. Rhoda
4. Profiles, Pts.1 & 2
5. Israel
6. And the Address
7. Mumbo Jumbo
8. Zip Code
9. Black Ice
10. At the End of the Day
11. Profiles, Pt.3

Disc: 3
1. Goldwaters
2. Remember Mike?
3. Where Are You Joany?
4. Dry Junk
5. Present
6. Thrift Store
7. Prelude and Ritual
8. Globe
9. Discovery and Recoil
10. Anne Mason
11. Mendoza
12. A World of Appearances
13. Sacrifice Dance
14. White of the Eye


Rolling Stone:



Pink Floyd's Nick Mason Preps Solo Albums Box Set
'Unattended Luggage' collection will feature drummer's debut LP, collaborations with 10cc's Rick Fenn


Pink Floyd drummer and co-founder Nick Mason will reissue his three solo albums in a new box set, Unattended Luggage, August 31st via Warner Music.

Unattended Luggage is available to pre-orderas both a three-CD or three-vinyl LP set. The collection boasts Mason's 1981 solo debut, Nick Mason's Fictitious Sports, his 1985 collaboration with 10cc guitarist Rick Fenn, Profiles, and White of the Eye, Mason and Fenn's 1987 soundtrack for the British thriller of the same name. All three records will also be made available to stream and download.

"These recordings hold a very special place for me in my musical life," Mason said. "Listening back after 30 odd years, I'm delighted they are getting the reissue treatment. I'm rather hoping that sales will be sufficient to damage the market in the original rare vinyl versions!"

Mason recorded Fictitious Sports in 1979, though the record wouldn't arrive for another two years. The drummer collaborated with a variety of musicians on the project, including keyboardist and songwriter Carla Bley and singer Robert Wyatt.

Mason noted that his next two projects with Fenn – Profiles and White of the Eye – grew out of the work they were doing for advertisements and short documentary films. Profiles was a largely instrumental effort, though Maggie Reilly and Mason's former Pink Floyd bandmate David Gilmour provided vocals on "Lie for a Lie," while UFO keyboardist Danny Peyronel sang, "Israel." 

As for White of the Eye, the record has not been available for over 20 years, and the Unattended Luggage set marks the first time it will be released on CD.

Following the release of Unattended Luggage, Mason and his new band, Nick Mason's Saucerful of Secrets, will embark on a European tour September 2nd in Stockholm, Sweden. 


27/05/2018

Nick Mason’s Saucerful of Secrets ao vivo em Londres (matéria) 2018-05-24 (FLAC)





A Saucerful Of Secrets (Celestial Voices)


Texto original: The Telegraph, UK

Nick Mason anunciou recentemente, como vimos aqui, a formação de uma nova banda para tocar o material mais antigo do Pink Floyd. Músicas de discos como 'The Piper At The Gates Of Dawn' e 'A Saucerful Of Secrets', serão tocados pelo Nick Mason’s Saucerful Of Secrets.

A formação da banda traz Gary Kemp (guitarra – Spandau Ballet), Lee Harris (guitarra – Blockheads), Guy Pratt (baixo – Pink Floyd), Dom Beken (tecladista) e Nick Mason na bateria.

Como membro fundador, Mason já tocou em todos os shows ao vivo do Floyd desde 1967, mas isso não foi exatamente um cronograma difícil. A banda fez seu último show no Live8 em 2005, que foi a última presença mais significativa de Mason no palco, além da breve aparição em 2011, 12 de maio, no segundo espetáculo na O2 Arena, em Londres na turnê The Wall de Roger Waters. Até agora.

  Set The Controls For The Heart Of The Sun

Em um clube londrino escuro e claustrofobicamente ocupado, cinco músicos de rock estabeleceram seus controles para o coração do sol. O baterista do Pink Floyd reuniu um grupo de músicos estelares para recriar um conjunto de rock psicodélico voltado ao início de sua banda original. Em sua estréia, diante de algumas centenas de convidados e dedicados fãs no Dingwalls em Londres, Saucerful of Secrets de Nick Mason festejou como se fosse 1969.

Uma deslumbrante de viagem musical no tempo da ficção científica. Não havia incensos queimando, não havia escorregadores psicodélicos e nem muito cabelo para ser visto nas cabeças dos fãs entusiasmados. Mas se você já se perguntou como seria o Pink Floyd quando interromperam a cena musical britânica, este era o lugar para se estar.

O som monumental, eletrizante, galvanizante, hipnotizante e ainda profundamente estranho, desdobrando os formatos do rock primitivo em todo tipo de interpretações obscuras e maravilhosas. Desde 'Interstellar Overdrive', 'Astronomy Dominie' e 'Lucifer Sam' ao encerramento arrebatador com 'One Of These Days' e a agitação musical de 'Point Me at the Sky', era um conjunto de intensidade tão surpreendente que parecia zombar da própria noção de nostalgia. Foi o suficiente para fazer você pensar se o rock de fato progrediu muito longe desde os anos sessenta.

One Of These Days

Mason em seus 74 anos de idade e de muita bagagem musical denotou por trás de sua bateria, com um ar de certa estranheza ao tocar efetivamente em sua própria banda tributo, e com seu característico bom humor, referia-se ao grupo como 'The Roger Waters Experience', o guitarrista Lee Harris, o tecladista Dom Beken), tendo como vocalista o baixista Guy Pratt (vocalista regular dos trabalhos do Pink Floyd e dos projetos solo de David Gilmour) e, um tanto incongruente, o guitarrista Gary Kemp do Spandau Ballet.

Kemp, em particular, foi uma revelação no papel de guitarrista. Não há nada no catálogo do New Romantic que pudesse sugerir um domínio tão selvagem de seu instrumento. Ele dispunha de mais unidades de efeito em seu pedal do que Floyd poderia contar, embora não tendo o toque sensível de Gilmour (bem, quem têm?), ele tocou com arrojo e brio, realmente trazendo todos os possíveis nuances de tom e distorção de seu instrumento.

A plateia era claramente devotada, aplaudindo tanto a criatividade dos integrantes, quanto o próprio desempenho em si, a cada execução.  

Kemp e Pratt pareciam estar se divertindo intensamente. Ambos londrinos, eles se aproximaram de linhas vocais com um vigor cockney (habitante do East End de Londres) muito distante das anunciações mais refinadas de Barrett (especialmente em tais peculiaridades da psicodelia inglesa como 'See Emily Play', 'Arnold Layne' e 'Bike'). Isso emprestou ao processo uma certa frescura e vitalidade, especialmente combinada com o toque sônico da amplificação moderna. Um pouco de aspereza na banda só ajudou a aproximar a intensidade energética juvenil do Floyd em seus primórdios.

See Emily Play

'Nick Mason’s Saucerful of Secrets' cavou fundo no underground da banda original. O resultado foi uma espécie de Punk Floyd, muito emocionante. Boa audição!



Fearless


Nick Mason's Saucerful of Secrets

Half Moon, Putney
London
May 24 2018

CD1
1.  Intro
2.  Interstellar Overdrive
3.  Astronomy Domine
4.  Lucifer Sam
5.  Band Introductions
6.  Fearless
7.  Obscured By Clouds->When You're In
8.  Banter
9.  Arnold Layne
10. The Nile Song
11. Banter

CD2
1.  Green Is The Colour
2.  Banter
3.  Let There Be More Light
4.  Set The Controls For The Heart Of The Sun
5.  Intro
6.  See Emily Play
7.  Bike
8.  One Of These Days
9.  Crowd
10. A Saucerful Of Secrets (Celestial Voices)
11. Point Me At The Sky
12. Outro


Nick Mason - Drums
Guy Pratt - Bass and vocals
Gary Kemp - Guitar and vocals
Dom Beken - Keyboards
Lee Harris - Guitar





FLAC
mega.nz  - (427.7 MB)



Jonathan Wilson no terraço da BLITZ [VÍDEO] entrevista



selecione a opção HD 720 na aba superior

Matéria da BLITZ:

Em Portugal pela primeira vez, atuando com Roger Waters na Altice Arena, dias 20 e 21 de maio, Jonathan Wilson deu uma entrevista à BLITZ, e atuou em exclusivo no edifício do grupo.

Sobre a digressão com Roger Waters, contou-nos Jonathan Wilson: “Está a correr muito bem. Ando em digressão há nove semanas. Comecei com os meus próprios concertos, que depois desaguaram na digressão do Roger Waters”, explica, dizendo que só deverá regressar a casa perto do Natal. “Vou passar 2018 numa digressão permanente”.

Além de guitarrista na banda de Roger Waters, com quem tocou no álbum “Is This The Life We Really Want?”, o currículo deste norte-americano é notável, o músico sediado na Califórnia tem três álbuns solo, o mais recente, o elogiado “Rare Birds” saiu este ano, é o terceiro álbum solo de um percurso que começou nos anos 90 nos Muscadine. Entre a folk e o rock psicadélico, além disso, é um dos produtores mais requisitados do momento, sendo bem conhecida a sua ligação a Father John Misty.

Foi, aliás, a propósito da recente vinda do ex-Pink Floyd a Portugal que Wilson deu um salto a Paço de Arcos para visitar a BLITZ, dar-nos uma entrevista (alguns excertos podem ser vistos no vídeo em cima) e tocar em exclusivo para o INSIDE uma versão acústica do seu magnífico single 'There's a Light'.

Quanto à forma como o público tem reagido a uma digressão de forte mensagem política, partilha Jonathan Wilson: “É muito interessante observar, nos diferentes países e cidades, a forma como as pessoas se comportam. Alguns são tímidos e reservados até ao fim, mas em países como Portugal, espero que o público seja extremamente entusiasta. Isso deverá tornar o concerto divertido”.

Sobre a diferença entre o público norte-americano e o europeu, Jonathan Wilson afirma ainda: “Uma coisa que reparei é que, nos Estados Unidos, as pessoas aproveitam algumas das canções novas para irem buscar cerveja, porque pensam: 'isto não são as canções antigas dos Pink Floyd que eu conheço, mas o que é isto?'. Mas na Europa as pessoas ficam lá o tempo todo, respeitam o concerto todo”.

O autor de “Gentle Spirit” confessou igualmente que ainda tem “muitos momentos” em que se lembra, com espanto, que está com um Pink Floyd em palco. “Ainda penso isso muitas vezes!”, admitiu, entre risos. “Mas divertimo-nos todos muito, em palco. Temos um bom ambiente”.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

David Gilmour


Por gentileza informe links quebrados - Please report broken links

Nome

E-mail *

Mensagem *