.

.

24/03/13

Pink Floyd - Damn Braces: Bless Relaxes – L.A. (1972) Siréne 060 - 2010





O concerto realizado no Hollywood Bowl, Los Angeles, Califórnia, em 22 de setembro de 1972, se tornou uma lenda. O fato se deve à energia do desempenho de Pink Floyd neste show e aos efeitos visuais do evento.

Este show é lendário não só pela estreia da obra Dark Side Of The Moon para os seus fãs LA , isso seis meses antes do álbum ser lançado, mas também porque a banda ofereceu uma de suas melhores apresentações visuais nesta época. Os destaques incluíam oito holofotes poderosos irradiando raios de trás do palco mirando o céu à noite. (semelhante ao procedimento dos holofotes da Segunda Guerra Mundial),  e a impressionante sequência de fogos de artifício no final.

A famosa arena foi palco deste, da versão solo de "Waters" e mais tarde da Tour do "Pink Floyd" de 1994, ou seja Hollywood Bowl, é parte importante da sua história. do "Pink Floyd".

O designer de iluminação Marc Brickman declarou na época que "a banda tinha ótimas lembranças de seu show lá em 1972, e uma agradável sensação nostálgica deste estágio. Então, no final, eles decidiram incluir Hollywood Bowl no roteiro de suas turnês". 

Historicamente constam duas fontes de gravação deste show. A mais antiga e bastante popular não têm boa qualidade de áudio, apenas razoável. Ela foi utilizada nos diversos bootlegs editados até então e inclusive consta deste lançamento da Sirene, os 2 últimos CDs (3 e 4), é oriunda do conjunto da Kornyfone Record, o famoso vinil triplo "Crackers". Entretanto em 2010, foi descoberta uma gravação excelente, que primeiramente foi sido lançada pela gravadora Zeus, igualmente intitulado "Crackers", (uma homenagem ao original dos anos 70). Algum tempo depois, aconteceu o lançamento da gravadora japonesa Sirene, "Damn Braces: Bless Relaxes" que melhorou consideravelmente a fonte original, sendo desde então considerado por muitos, a versão definitiva deste registro. Ele tem uma qualidade de som impressionante, mesmo para os padrões atuais de gravação: um som cristalino - inclusive para os vocais - e separação estéreo é perfeita. Aqui consta somente o material mais recente, contido nos CDs 1 e 2 deste lançamento, digo somente, porque é o que têm ótima qualidade, creio que a Sirene entendeu incluir os demais arquivos, inclusive um vídeo de 20 min. com imagens muito ruins, tremidas, disformes e desencontradas com o áudio, apenas com o intuito de oferecer um pacote completo. (para colecionadores radicais, imagino). 

Possivelmente eu deva ser o único a dar destaque para esta peça, (principalmente porque aqui "Nick Mason" teve espaço para desenvolver todo o seu talento, e "Wright" conduzia-nos às terras sinistras, obscuras e psicodélicas da sua genialidade impar), com todo o glamour que a esta altura cerca "The Dark Side Of The Moon". Este era para ser o penúltimo desempenho de "A Saucerful of Secrets", e a banda deve ter planejado para ela uma despedida inesquecível, porque é executada com perfeição. A partir da abertura sinistra à frenética bateria de Nick em "Syncopated Pandemonium" (que também deve ser uma das versões mais rápidas) para calmaria ("Storm Signal"), antes da tempestade que é "Vozes Celestes".

Este é o período que mais aprecio. Os shows de 72 são diferentes porque eles mostram as peças como um trabalho em evolução. Você pode ouvir material que já não aparece no álbum, exitem coisas que em seu progresso são muito distintas. Um grande exemplo é a groove "The Travel Sequence", "On The Run", viria depois, "Gilmour" toca uma guitarra jazzy, os teclados soam muito bem e a base estilo fusion de "Waters" juntos, mais parece uma tremenda jam session nos concertos, uma verdadeira beleza. Ela começa imediatamente após "Breathe", e seu ritmo evolutivo cria perfeitamente a ilusão de alguém em trânsito, numa viagem. Justamente quando você pensa que uma nova seção começa, desvanece-se ao som dos despertadores de "Time", acho incrível, muito bom. E é principalmente o desempenho da banda que se desenvolve com muito vigor e entusiasmo que faz a diferença, o que na maioria das performances pós-lançamento do álbum já não iria acontecer com tanta paixão e intensidade. Por tudo isso, acho que "Dark Side" em 1972 viveu seus melhores dias nos palcos, e esta incrível performance se destaca entre os grandes. Boa audição!


The Mortality Sequence

Hollywood Bowl
Os shows da época eram enfumaçados, 
sugerindo uma plasticidade dramática.



Pink Floyd

Damn Braces: Bless Relaxes (Siréne-060)
Hollywood Bowl, Los Angeles, CA 
September 22nd, 1972 (2010)


Sirene -060A 

1.Breathe 2:43
2.On The Run (The Travel Sequence) 4:36
3.Time 5:49
4.Breathe Reprise 1:02
5.The Mortality Sequence 4:30
6.Money 6:16
7.Us & Them 7:38
8.Any Colour You Like 4:38
9.Brain Damage 3:46
10.Eclipse 1:53
(42:57)

Sirene -060B

1.One Of These Days 8:59
2.Careful With That Axe Eugene 11:33
3.Echoes 26:07
4.A Saucerful Of Secrets 15:10
5.Set The Controls 13:06
(1:14:57)






Mp3 - 320 Kbps - 48 kHz
mediafire.CD1 - (88,72 MB)
mediafire.CD2 (154,83 MB)
ou
4shared.CD1  - (90,86 MB)
4shared.CD2 - (154,80 MB)
ou
FLAC
CD1:
4shared.CD1part1 - (199,94 MB)
4shared.CD1part2 - (58,36 MB)
CD2:
4shared.CD2part1 - (194,04 MB)
4shared.CD2part2 - (241,82 MB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

David Gilmour


Por gentileza informe links quebrados - Please report broken links

Nome

E-mail *

Mensagem *