.

.

12/07/11

Richard Wright - Wet Dream (1978)


Holiday

Wet Dream é um progressivo de ótima qualidade, diga-se de passagem, proveniente de um músico completo, soberbo tecladista, e exímio compositor, Richard Wright. Posso afirmar sem medo de errar que este álbum poderia perfeitamente figurar entre os do próprio Pink Floyd e hoje, seria musicalmente aclamado, digo sem qualquer mudança em seu conteúdo, a não ser o rótulo... Ao meu ver não havendo um trabalho promocional visando sensibilizar a opinião pública e mesmo a maioria dos críticos que, salvo algumas exceções, preferem não contestar o fluxo , optando pelo modo segurança, expressam-se enfaticamente nos casos já consagrados, dividir opiniões pode significar perda de ibope. Com isso vários álbuns solo de artistas pouco paparicados padecem, fadados ao esquecimento, vítimas da natureza que nos cercam as produtoras em geral. Richard seria demitido do Pink Floyd, por ter suas convicções musicais, e demonstrou nesta produção que mereceria outra sorte, mas é sempre a velha história da corda... 


Richard Wright sempre foi o terceiro compositor e vocalista do grupo, tal como como George Harrison nos Beatles, John Entwistle no The Who e John Paul Jones no Led ZeppelinComo compositor Wright contribuía em me´dia, com duas ou três músicas por álbum, e ainda colaborava na estruturação de obras coletivas como "Echoes" ou "Time". Dark Side of the Moon (1973), representou seu ápice no Pink Floyd, aqui os teclados equiparam-se a guitarra de Gilmour é quando participa na composição de cinco de dez músicas de um mesmo álbum, e como se sabe, este álbum tonou-se um divisor de águas, consagrando e consolidando mundialmente o nome Pink Floyd. Em Wish You Were Here (1975), onde seus teclados estão onipresentes, Wright trouxe grandes contribuições para o álbum, sobretudo na suíte "Shine on You Crazy Diamond".  Wet Dream, é um álbum de extrema felicidade harmônica, a exemplo de canções de Wright lançadas no Pink Floyd como "Remember a Day", "See-Saw" e "Summer 68", respectivamente de Saucerful of Secrets, de 1968, e Atom Heart Mother, de 1970, mostrando que Wright tinha sim uma regularidade criativa bastante interessante.

Pink's Song

Um acontecimento histórico que está fadado a especulação, se Wright estava com tão boas músicas no bolso, é incrível que nenhuma delas entrasse no repertório do Floyd, visto que este disco é essencialmente floydiano. Para quem se lembra da Rádio Eldo-Pop, uma FM experimental que tocava progressivo o dia inteiro nos anos 70, a música "Waves" deste disco, era algo como um hino a sua bandeira, podia se dizer que era sua trilha de abertura. E por falar em méritos, a banda têm o excepcional Mel Colins, com toda a categoria de um saxofone do rodadíssimo, e que também faz belo solo de flauta em Pink's Song (na verdade, a discografia de participações deste cara é enorme, além das bandas que já tocou como King Crimson, Camel, Caravan e Alan Parson's Project). Todo o teclado do disco e os vocais são do Wright, assim como todas as composições, dividindo apenas a letra de "Against The Odds" com sua esposa, Julliete.
O que também intriga é como sua carreira como músico praticamente acaba aqui. Quando em 1980 foi demitido do Floyd por Waters, grava em 84 um disco muito aquém de sua competência, numa banda chamada Zee, e só volta realmente a aparecer bem com o Division Bell, do Floyd, em 1994. è quando Rick Wright volta a participar ativamente do processo criativo, retomando-se a cooperação coletiva que se havia perdido nos anos 70. Wright é co-autor de "Wearing The Inside Out" com Anthony Moore e das músicas "Cluster One", "What Do You Want From Me", "Marooned", e "Keep Talking" com David Gilmour. Se este processo é preponderante no espírito ou influi psicologicamente no equilíbrio musical de Wright, não posso afirmar, entretanto sentir-se realizado e ter o resgate do seu valor trás de volta a felicidade, principal combustível da criatividade, isto é comum a qualquer pessoa. E de fato a partir de então, em1996, volta a demonstrar todo seu potencial com outro disco solo, Broken China,

Completam o time de músicos o guitarrista Snowy White, que já vinha se apresentando com Pink Floyd na turnê do Animals e mais tarde, em 79, seguiria para o Thin Lizzy, supergrupo de rock da Irlanda, o baterista Reg Isadore, que tocou com Robin Trower em seu mais aclamado disco, Bridge of Signs, de 1974, e o baixista Larry Steele. Portanto, o que temos aqui é um compositor de primeira, uma banda excelente, e um disco imperdível.

  • Richard Wright- Piano,teclados,Órgão Hammond,sintetizadores,vocais
  • Snowy White- Guitarra
  • Larry Steele- baixo
  • Reg Isidore- Bateria
  • Mel Collins- saxofone,flauta
  • Hipgnosis- Design e fotografia da arte da capa

Side 1
1. Mediterannean C (3:52)
2. Against the Odds (3:59)
3. Cat Cruise (5:15)
4. Summer Elegy (4:53)
5. Waves (4:20)
Side 2
6. Holiday (6:12)
7. Mad yannis Dance (3:19)
8. Drop in from the Top (3:26)
9. Pink's song (3:27)
10. Funky Deux (4:57)


"Fazer esse álbum me ajudou a ter de volta minha energia criativa para o próximo trabalho do Floyd."


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

David Gilmour


Por gentileza informe links quebrados - Please report broken links

Nome

E-mail *

Mensagem *