.

.

04/07/12

Pink Floyd - A Saucerful of Secrets (1968) - Matéria & Edição 2011


Pink Floyd - Why Pink Floyd...? - Discovery Edition Box-Set (2011)
2011 Remastered from Discovery Edition


Em 29.06.1968, foi lançado o segundo álbum do Pink Floyd, "A Saucerful Of Secrets". Gravado nos estúdios Abbey Road entre agosto de 1967 a abril de 1968, seria o último trabalho da banda com Syd Barrett na formação. Neste mesmo dia a banda faz seu primeiro concerto diante de uma platéia numerosa, no Hyde Park em Londres, ao lado do Jethro Tull e do Tyrannosaurus Rex de Marc Bolan.

A Saucerful Of Secrets traz alguns temas altamente experimentais até mesmo para os padrões psicodélicos da época, como a faixa título e “Corporal Clegg”, até hoje a única música do Pink Floyd cantada pelo baterista Nick Mason.

Apesar de ser o único álbum com os cinco integrantes da história do grupo, apenas “Set the Controls for the Heart of the Sun” foi gravada com todos eles tocando juntos. Entre várias obras primas da bandas, é um grande destaque. Fato que merece todo destaque são os vocais de Richard Wright, presente em quatro das sete faixas constantes do álbum. Em nenhum outro registro o tecladista teria novamente o mesmo espaço como vocalista. Boa audição!


Tracks: 

1. Let There Be More Light
2. Remember a Day
3. Set the Controls for the Heart of the Sun
4. Corporal Clegg
5. A Saucerful of Secrets
6. See-Saw
7. Jugband Blues

Abaixo segue matéria referente ao álbum:


"A história de A Saucerful of Secrets, o segundo disco do Pink Floyd"



A matéria reuni fatos relacionados ao segundo disco do "Pink Floyd", o magnífico "A Saucerful of Secrets". As informações foram extraídas do livro "Inside Out", escrito pelo próprio baterista do grupo, Nick Mason:

Bem, o primeiro acontecimento importante é a entrada de David Gilmour para a banda. De início a ideia era de ter dois guitarristas - o próprio Syd Barrett, questionado por seus companheiros de grupo, aprovou a entrada de Gilmour, que na época fazia parte de uma banda chamada Jokers Wild. Segundo o que Nick Mason diz no livro, eles tinham interesse nas habilidades de Gilmour na guitarra, enquanto David teria com o Pink Floyd tudo que não tinha em sua banda, como contrato, shows, salário e equipamentos adequados, apesar de o Jokers Wild ser um dos grupos locais mais comentados de Cambridge.

Um pouco antes do Natal de 1967 o convite foi feito, e David, em questão de dias, aprendeu rapidamente o repertório do Pink Floyd. Devido a essa rapidez, Syd Barret, que antes havia concordado em ter um guitarrista de apoio, se viu ameaçado, pois os demais membros claramente enxergavam Gilmour como um possível substituto para Syd. Uma curiosidade é que o pessoal chegou para David e prometeu um salário de 30 libras semanais, mas a verdade é que ele iria ganhar um quarto disso.

Apesar desse pequeno mal estar entre Barrett e o pessoal da banda, no começo de 1968 o Pink Floyd tinha algumas apresentações agendadas e, portanto, queriam experimentar o som com as duas guitarras. Entretanto, o comportamento de Syd não poderia ter sido pior - ele estava mais distante, agressivo e incontrolável do que nunca. Ao vivo ele se esforçava o menos possível, como se quisesse protestar devido ao fato de que não era mais o principal compositor e músico do grupo. Um exemplo claro do descontentamento de Syd ocorreu na sessão de ensaios no salão de uma escola em West london, onde o vocalista gastou horas ensinando à banda os acordes e melodias de uma nova música sua, mas, assim que o pessoal pegava o espírito, ele mudava e invertia os acordes, refazendo as partes apenas para irritar o restante do grupo. A canção se chamava "Have You Got It Yet?".

Mas a coisa ficou realmente complicada em fevereiro de 1968. Acontece que a banda tinha uma apresentação em Southampton. Na van, a caminho do show, alguém perguntou "Hey, precisamos mesmo pegar o Syd?", e alguém respondeu "Não, que se foda, deixe ele por lá!". Ficava claro que o desejo da banda era fazer sucesso, e Syd Barrett, naquele momento, seria uma ameaça. Nesse show sem Syd, apesar de eles terem ensaiado como quarteto Gilmour conseguiu segurar a onda direitinho, fazendo as partes de guitarra e todas as partes de vocais de Syd. Isso apenas provou, infelizmente, o quanto Syd Barrett havia se tornado alienado às apresentações ao vivo grupo.

Os problemas não pararam por aí. O pessoal do Pink Floyd não informou a decisão sobre chutar Syd da banda. mas o fato era que, em termos de contratos e direitos autorais, Syd era uma peça muito forte. O música havia composto quase todo o The Piper of The Gates of Dawn, além de ter criado o nome e definido a identidade da banda. Porém, em uma reunião formal com os managers de Syd, que estavam a par da situação, dissolveram a parceria. Todos entendiam que Syd Barrett não estava mais apto a se apresentar ao vivo e a tocar com o Pink Floyd. Com a antiga parceria desfeita, um novo manager foi contratato, Bryan Morrison, substituindo o antigo, Peter O´Rourke

Gravando o álbum

A Saucerful of Secrets foi gravado nos estúdios Abbey Road e significou, segundo Nick Mason, o maior esforço da banda naquele período. Além de estarem desfalcados de Syd Barrett, eles insistiam em ousar e criar músicas que colocavam à prova suas habilidades como compositores. Mas parece que deu certo.

Esse trabalho contém a final, mas poderosa, chama da presença de Syd Barrett no grupo, afinal "Jugband Blues" era dele e foi gravada com a banda em um momento de lucidez. Syd se despede dos fãs e apresenta-se consciente de seu estado debilitado. Há uma frase que ilustra de forma direta sua despedida: "I´m most obliged to you for making it clear that I´m not here". Obviamente essa música já tinha o overdub da voz de Syd gravado. Na época, o produtor Norman Smith perguntou a Barrett se ele tinha ideias para as melodias e acordes. Syd respondeu: "Não, deixe eu usar o exército da salvação".

Ainda existiam outras músicas de Syd, como "Old Woman with a Casket" e "Vegetable Man". São músicas que seriam usadas para singles - e dariam ótimos singles - mas elas nunca foram devidamente terminadas, tendo seus master tapes engavetados.
 Peter, o manager da época, viu Syd escrever "Vegetable Man" em poucos minutos. Era terrível ler a letra, pois era um auto-retrato dele - "sou um homem vegetal". Esses indícios nos levam a concluir que existiam momentos em que Syd sabia a dimensão de sua doença.


Voltando às gravações de A Saucerful of Secrets, Rick Wright contribuiu para duas músicas - "See-Saw" e "Remember a Day", que tem uma batida de bateria, segundo Mason, muito diferente do usual.

Roger contribuiu com três canções - "Corporal Clegg", "Let There Be More Light" e "Set The Controls for the Heart of the Sun". Essas faixas soavam muito bem com a produção de Norman Smith, melhor do que a própria banda estava acostumada. "Corporal Clegg" é, liricamente, uma versão mais bem humorada de "The Gunner´s Dream", e "Let There Be More Light" era dedicada a Pip Carter, um dos membros mais antigos da máfia de Cambridge.

"Set The Controls for the Heart of the Sun" era um tema construído de acordo com os alcances vocais de Roger Waters, e também, para Nick Mason, uma de suas faixas favoritas, pois nele pôde usar a percussão de forma não usual e bastante experimental. Ele se inspirou na música "Blue Sands", a trilha tocada pelo baterista Chico Hamilton no filme Jazz on a Summer´s Day.

A faixa-título foi mapeada e dividida em três movimentos. Esse planejamento era utilizado na música erudita, durante o período clássico. Roger e Nick mapearam e dimensionaram a música. Apesar do planejamento do esqueleto ela tem partes de improvisação, é amorfa e, em alguns momentos, torna-se tensa e imprevisível. Uma evolução para época. Alguém aqui conhece, ou já ouviu falar de algo sequer parecido com essa faixa naqueles tempos? Não vale "Revolution #9" dos Beatles, porque é bastante diferente e foi gravada um ano depois.

A faixa que dá nome ao álbum possui planejamento, mas também total liberdade. Os quatro membros trabalharam livremente nela, e a segunda parte, denominada "Rats in the Piano", possuía a marca registrada da banda, com efeitos sonoros bastante usados no começo de carreira. Na parte final foram usados melotrons e até orgãos, gravados no famoso Royal Albert Hall.



A capa

A capa de A Saucerful of Secrets foi criada pela então iniciante empresa Hipgnosis, onde Storm Thorgerson e Aubrey Powell criaram o que era fantasticamente correto para a época. Foram usadas treze sobreposições de impressões a cores, tudo utilizando os estúdios alugados da Royal College of Art, estúdio esse que não dispunha de muitos recursos técnicos, forçando os designers a improvisarem bastante.O resultado agradou tanto que Bryan Morrison os contratou futuramente para outros trabalhos.


O lançamento

O lançamento de A Saucerful of Secrets foi em 29 de junho de 1968, com o Pink Floyd sendo convidado a tocar no primeiro concerto gratuito do Hyde Park ao lado de Roy Harper e Jethro Tull. Segundo Nick Mason, foi um evento maravilhoso, o público recebeu muito bem a banda e o tempo ajudou bastante.

Essas são as principais observações sobre o maravilhoso "A Saucerful of Secrets", um álbum importante na trajetória do Pink Floyd e que, na minha humilde opinião, é tão bom e revolucionário quanto a estreia com "The Piper at the Gates of Dawn".

Por Pier Carllo Lombardo
Com edição de Ricardo Seelig
Colecionador
*Nota do blog: A matéria acima é oriunda do blog Collector´s Room




Syd Barrett. Lenda do rock, artista plástico, compositor e líder da mais importante formação do rock psicodélico dos anos 60, tendo influenciado meio mundo dos dois lados do Atlântico, enfim o inventor de um capítulo todo particular na história do rock. Um dos personagens mais emblemáticos no mundo da psicodelia (senão o maior). Impressiona Syd lançar apenas um álbum com o Pink Floyd, e dois álbuns na carreira solo e eternizar-se como mito da cultura popular. Desde o começo da década de 70 até o ano de sua morte (2006), viveu uma vida pacata em Cambridge na Inglaterra sem fazer aparições públicas e muito menos shows. Abaixo as letras das canções ainda refletem sua influência, e sua própria composição Blues JugBand:




Letras & Traduções: 

LET THERE BE MORE LIGHT (Waters)

Far far away
People heard him say
I will find a way
There will come a day
Something will be done
Then at last the mighty ship
Descending on a point of flame
Made contact with the human race
At Mildenhall

Now is the time
To be be be aware
Carter's father saw it there
And knew the Rhull revealed to him
The living soul of Hereward the Wake

Oh my, something in my eye
Something in the sky
Waiting there for me
The outer lock rolled slowly back
The servicemen were heard to sigh
For there revealed in flowing robes was
Lucy in the sky


QUE HAJA MAIS LUZ (Waters)

Bem, bem longe
As pessoas ouvem ele dizer
Eu vou descobrir um jeito
Virá um dia
Algo será feito
Então finalmente o poderoso navio
Descendo em um ponto de chamas
Fez contato com a raça humana
No Mildenhall

Agora é a hora
De estar, estar, estar alerta
O pai de Carter viu isto lá
E sabia sobre o Rhull revelado a ele
A alma viva de Hereward the Wake

Ah meu, alguma coisa no meu olho
Alguma coisa no céu
Esperando por mim lá
A fechadura externa rolou lentamente para trás
O soldado foi ouvido por sussurro
Pois lá revelada em mantos graciosos estava
Lucy no céu


REMEMBER A DAY (Wright)

Remember a day before today
A day when you were young
Free to play along with time
Evening never comes
Sing a song that can't be sung
Without the morning's kiss
Queen you shall be if you wish
Look for your king

Why can't we play today?
Why can't we stay that way?

Climb your favourite apple tree
Try to catch the sun
Hide from your little brother's gun
Dream yourself away
Why can't we reach the sun?
Why can't we blow the years away?
Blow away.


LEMBRE DE UM DIA (Wright)

Lembre de um dia antes de hoje
Um dia em que você era jovem
Livre para brincar ao longo do tempo
O anoitecer nunca vinha
Cante um canção que não pode ser cantada
Sem o beijo da manhã
Rainha você pode ser se você desejar
Procure por seu rei

Por que nós não podemos brincar hoje?
Por que nós não podemos ficar daquele jeito?

Suba na sua macieira favorita
Tente pegar o Sol
Esconda-se da arma do seu irmão caçula
Sonhe com você ausente
Por que não podemos alcançar o Sol?
Por que não podemos "soprar" os anos para longe?
"Soprar" para longe.


SET THE CONTROLS
FOR THE HEART OF THE SUN (Waters)

Little by little the night turns away
Counting the leaves which tremble at dawn
Lotus's lean on each other in yearning
Over the hills a swallow is resting
Set the controls for the heart of the sun

Over the mountain watching the watcher
Breaking the darkness waking the grapevine
Knowledge of love is knowledge of shadow
Love is the shadow that ripens the wine
Set the controls for the heart of the sun

Witness the man who waves at the wall
Making the shape of his question to heaven
Whether the sun will fall in the evening
Will he remember the lesson of giving?
Set the controls for the heart of the sun
Set the controls for the heart of the sun.


AJUSTE OS CONTROLES
PARA O CORAÇÃO DO SOL (Waters)

Pouco a pouco a noite se despede
Contando as folhas que tremem ao amanhecer
Lótus ansiosos apóiam-se uns nos outros
Sobre as colinas uma andorinha está descansando
Ajuste os controles para o coração do Sol

Sobre a montanha observando o observador
Rompendo a escuridão acordando o parreiral
Conhecimento do amor é o conhecimento da sombra
O amor é a sombra que amadurece o vinho
Ajuste os controles para o coração do Sol

Testemunhe o homem que acena ao muro
Formulando a sua pergunta ao Céu
Será que o Sol vai cair no anoitecer
Será que ele vai lembrar da lição de doar?
Ajuste os controles para o coração do Sol
Ajuste os controles para o coração do Sol


CORPORAL CLEGG (Waters)

Corporal Clegg had a wooden leg
He won it in the war
In nineteen forty four

Corporal Clegg had a medal too
In orange, red and blue
He found it in the zoo

Dear oh dear
Oh are they really sad for me?
Dear oh dear
Oh will they really laugh at me?

Missus Clegg, you must be proud of him
Missus Clegg, another drop of gin?
Corporal Clegg, umberella in the rain
He's never been the same
No one is to blame

Corporal Clegg
Received his medal in a dream
From her Majesty, the Queen
His boots were very clean
Missus Clegg, you must be proud of him
Missus Clegg, another drop of gin?

Corporal Clegg
Corporal Clegg


CABO CLEGG (Waters)

Cabo Clegg tinha uma perna de madeira
Ele a ganhou na guerra
Em mil novecentos e quarenta e quatro

Cabo Clegg tinha uma medalha também
Laranja, vermelha e azul
Ele a achou no jardim zoológico

Querida, ah querida
Ah, eles estão mesmo tristes por mim?
Querida, ah querida
Ah, eles vão mesmo rir de mim?

Senhora Clegg, você deve se orgulhar dele
Senhora Clegg, mais uma gota de gim?
Cabo Clegg, guarda-chuva na chuva
Ele nunca foi o mesmo
Ninguém vai culpar

Cabo Clegg
Recebeu sua medalha em um sonho
De sua Majestade, a Rainha
Suas botas eram muito limpas
Senhora Clegg, você deve se orgulhar dele
Senhora Clegg, mais uma gota de gim?

Cabo Clegg
Cabo Clegg


A SAUCERFUL OF SECRETS (Instrumental)

UM DISCO CHEIO DE SEGREDOS (Instrumental)


SEE-SAW (Wright)

Marigolds are very much in love
But he doesn't mind
Picking up sister
He makes his way in to the see-saw land
All the way up she smiles
She goes up as he goes down, down

Sits on a stick in the river
Laughter in his sleep
Sister's throwing stones
Hoping for a hit
He doesn't know, so then
She goes up while he goes down, down

Another time, another day
A brother's way to leave
Another time, another day

Selling plastic flowers
On a Sunday afternoon
Picking up weeds
She hasn't got time to care
All can see he's not there
She grows up for another man
And he's down

Another time, another day
A brother's way to leave
Another time, another day


GANGORRA (Wright)

Malmequeres estão muito apaixonados
Mas ele não se importa
Escolhendo irmã
Ele faz a sua entrada na terra da gangorra
Durante todo o caminho ela sorri
Ela vai para cima enquanto ele vai para baixo, baixo

Senta em um galho no rio
Gargalhada em seu sono
A irmã está jogando pedras
Esperando por um impacto
Ele não sabia, até então
Ela vai para cima enquanto ele vai para baixo, baixo

Um outro tempo, um outro dia
Uma maneira fraterna de partir
Um outro tempo, um outro dia

Vendendo flores de plástico
Num domingo à tarde
Catando ervas daninhas
Ela não tem tempo para se preocupar
Todos podem ver que ele não está lá
Ela cresce para um outro homem
E ele está abatido

Um outro tempo, um outro dia
Uma maneira fraterna de partir
Um outro tempo, um outro dia


JUGBAND BLUES (Barrett)

It's awfully considerate of you
To think of me here
And I'm almost obliged to you
For making it clear that I'm not here
And I never knew the moon could be so big
And I never knew the moon could be so blue
And I'm grateful that you threw away
My old shoes
And brought me here
Instead dressed in red

And I'm wondering
Who could be writing this song
I don't care if the sun don't shine
And I don't care if nothing is mine
And I don't care if I'm nervous with you
I'll do my loving in the Winter

And the sea isn't green
And I love the queen
And what exactly is a dream?
And what exactly is a joke?


BLUES JUGBAND (Barrett)

É espantosamente atencioso da sua parte
Pensar em mim aqui
E eu sou quase agradecido a você
Por deixar claro que eu não estou aqui
E eu nunca soube que a Lua pudesse ser tão grande
E eu nunca soube que a Lua pudesse ser tão azul
E eu estou grato por você ter jogado fora
Os meus sapatos velhos
E ter me trazido aqui
Em vez de ter se vestido de vermelho

E eu estou pensando
Quem poderia estar escrevendo esta canção
Eu não me importo se o Sol não brilha
E eu não me importo se nada é meu
E eu não me importo se estou nervoso com você
Eu vou fazer o meu amor no Inverno

E o mar não é verde
E eu amo a rainha
E o quê exatamente é um sonho?
E o quê exatamente é uma piada?


Fonte: Para Ler e Pensar


mediafire (89.89 MB / 320 Kbps - 48 kHz)
ou
4shared.FLAC (230.22 MB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

David Gilmour


Por gentileza informe links quebrados - Please report broken links

Nome

E-mail *

Mensagem *