.

.

11/02/12

Discipline – To Shatter All Accord (2011)




Circuitry


"To Shatter All Accord" (2011), 14 anos se passaram, então a banda ressurge com uma obra prima. 

Com a colaboração competente de Jon Preston Bouda nas guitarras, Mathew Kennedy no baixo e Paul Dzendzel na bateria, o vocalista e tecladista Matthew Parmenter, rege o "Discipline" dentro do prisma que consagrou o rock progressivo como referência da musica feita com paixão e qualidade, privilegiando o presente com criações que resplandecem os tempos áureos de um passado glorioso, quando hábeis artesões compunham quadros sonoros como as mais belas pinturas, meticulosamente elaborados. Aparentando estar completamente desprendido do que preconiza o modelo comercial das gravadoras, suas canções se estendem caprichosamente, sem no entanto perderem brilho ou encanto. 

Aberturas dominadas por belos interlúdios ou  lúgubre piano à luz de nuances de um jazz de pura leveza. Movimentos ecléticos dos teclados Mellotron e orgão Hammond, fundem-se numa construção ritualisticamente dramática de ritmos lentos e melancólicos, incluindo sax e violino, tendo por contra partida solos de guitarra viscerais, ritmos eletrizantes, riffs simetricamente ajustados. Cada nota está no seu lugar, cada seção tem sua tensão, e algumas linhas são apenas tão brilhantes como só a música pode ser. 

Quando o piano ocupa o eixo central, a música se transforma em solenidade e dá lugar a uma reflexão sombria, semelhante ao encontrado no trabalho solo de Parmenter, onde ele proporciona toda a tenebrosa profundidade de sua voz ao lado apenas de sua guitarra e piano.

Um trabalho elaborado como já há algum tempo não se ouvia, "Discipline" é mestre em trabalhar de forma muito eficaz com arranjos e composições de tempos mais complexos, uma fusão prolífica de tons sinfônicos, amálgama onde a banda é capaz de passar da beleza hipnotizante para uma ferocidade cacofônica dotado de impressionante precisão técnica que fica patente no álbum como um todo e mais enfaticamente no épico "Rogue", com direito a sons fantasmagóricos, a faixa de encerramento ao meu ver é um grande destaque em um álbum já excelente. 

A banda têm um desempenho brilhante ao longo de todo processo teatral da entrega espiritual de Mathew Parmenter, um vocalista muito talentoso, capaz de capturar a ressonância emocional em cada canção. Parafraseando a portentosa "When She Dreams She Dreams in Color", ele sonha, sonha em cores que realmente, a quem está acostumado ao seu trabalho, trazem à mente elogiosas comparações ao grande "Van der Graaf Generator". Este é um dos melhores álbuns de 2011, senão o melhor, e certamente indelével ao tempo, raro como os grandes, se eternizara no universo progressivo. Com certeza... Boa audição! 


Rogue


Discipline
To Shatter All Accord (2011)


Tracklist:

  1. Circuitry (6:16) 
  2. When the Walls are Down (7:29) 
  3. Dead City (5:15) 
  4. When She Dreams She Dreams in Color (13:40) 
  5. Rogue (24:04) 



Line Up:

  • Matthew Parmenter: vocals, keys, descants 
  • Jon Preston Bouda: guitars 
  • Mathew Kennedy: bass 
  • Paul Dzendzel: skins, percussion 

Total: 56:44


When She Dreams She Dreams in Color

FLAC
uploading.part1 (200,20 MB)
uploading.part2 (174,30 MB)
ou
Mp3 / 320 kbps
depositfiles (125.01 MB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ShareThis

Por gentileza informe links quebrados - Please report broken links

Nome

E-mail *

Mensagem *

Roger Waters

 - Brain Damage -
 Pink Days & Fat Old Suns 1973
Hey You - legendado

   

thinkfloyd61 Headline Animator