.

.

22/06/12

Biografia inédita: "Nos bastidores do Pink Floyd" - Mark Blake

 


Chega ao Brasil biografia inédita do Pink Floyd


A tradução em português de "Pigs Might Fly: The Inside Story Of Pink Floyd" por Mark Blake foi recentemente publicada no Brasil. O livro, agora intitulado "Nos Bastidores do Pink Floyd", é promovido pela editora Évora e seu lançamento coincidiu com a presença "Roger Waters" na Argentina e no Brasil.

O livro é coerente, claro e conciso. "Nos Bastidores do Pink Floyd", a narrativa, de cunho documental e realista, aborda a banda mostrando em fotos e relatos, como esse álbum se confunde com a biografia de "Roger Waters", e é atualizado para postar a morte prematura de "Syd Barrett". É uma leitura agradável e dispõe de opiniões colhidas por meio de mais de 100 entrevistas com pessoas que fizeram parte da história do Pink Floyd e tiveram amizade com o grupo ao longo dos anos.

Mark Blake já entrevistou "David Gilmour" e "Roger Waters" diversas vezes em matérias à varias revistas onde escreveu, e utilizou esse precioso conhecimento em primeira mão para o livro. Existem mais de 100 livros publicados sobre a história da banda, e este certamente se situa entre os melhores

Em uma entrevista ao Jornal Estado de São Paulo, o autor comenta suas impressões:



À altura de Beatles e Stones

Por e-mail, de Londres, onde mora, o jornalista Mark Blake comenta ao Estado o lançamento no Brasil de "Nos Bastidores do Pink Floyd".

O que diferencia seu livro das muitas biografias?

Meu livro atualiza a história do "Pink Floyd". Há nele uma infinidade de pessoas que nunca haviam sido entrevistadas antes para falar de sua relação com a banda.

"Syd Barret" emerge na obra como um dandy, cujo carisma influenciava todos ao seu redor, não?

"Barrett" era um jovem com um imenso e estranho carisma. Quando saiu da banda, inicialmente seus amigos acharam muito difícil continuar sem ele.
O que faz do legado do "Pink Floyd" tão influente hoje, se comparado aos demais grupos de sua geração?

É tão importante, mas não maior, que o dos "Beatles" e dos "Rolling Stones". É verdade que nunca se tornou um monstro sagrado como esses, mas o que faz com que sucessivas novas gerações descubram o apelo de sua música é o fato de ela lidar com temas universais: medo de crescer, medo de envelhecer, sentimentos de não pertencimento, de ser um outsider. Esse tipo de assunto nunca sai de moda.

The Wall até o último tijolo

Música em profusão, e ainda filmes, documentários, livros de fotos, figurinhas e objetos customizados, como canecas e bolinhas de gude. Difícil imaginar um projeto que saciasse mais a sede de fãs de bolsos, digamos, confortáveis, do que Why Pink Floyd?.

Com sua narrativa revolucionária, o show foi além de uma experiência musical, atingindo vários níveis de percepção no expectador. A intenção do músico sempre foi explorar diferentes mídias, misturando som e imagem em seus inúmeros trabalhos. No livro é possível conhecer o processo de produção da banda durante a realização do "The Wall", incluindo inúmeros atritos entre seus integrantes. Um momento curioso é o relato sobre Waters, em 1979, forçar a saída de "Richard Wright", tecladista e fundador da banda, sob a alegação de que não estava contribuindo o bastante para a gravação do álbum The Wall.

"Nos Bastidores do Pink Floyd" também conta sobre shows memoráveis da banda e do Roger Waters. Em julho de 1990, por exemplo, "Waters" fez uma performance do "The Wall", em Berlim, nas ruínas do muro que dividia a cidade. Segundo o livro, "Roger" tinha prometido, dois anos antes desse show histórico, nunca mais retomar a produção do "The Wall", mas citou que “poderia fazer a céu aberto se um dia eles tirarem o muro de Berlim”. O interessante é que "Roger", na época, pensava ser improvável que o muro caísse.

O livro também relata sobre como a morte do pai de "Waters" durante a segunda guerra mundial influenciou a produção artística do músico, principalmente na produção do "The Wall". Em um trecho extraído do livro, o autor relata sobre como os membros da banda sentaram para apreciar um “roteiro” que "Waters" fez para a produção da obra:

"A primeira parte foi inspirada na própria vida de "Waters", começando com a morte de seu pai na Segunda Guerra Mundial (efetivamente, o primeiro “tijolo no muro”), antes de passar para outros "tijolos" de seus relacionamentos, com uma mãe super-protetora e professores que praticavam bullying”.

Em muitos aspectos, a história do "Pink Floyd" é tão interessante quanto à obra da banda, e o livro "Nos Bastidores do Pink Floyd" se aprofunda na vida de seus integrantes, suas relações, tragédias e triunfos, sendo o "The Wall" uma de seus maiores realizações. O livro não é só um acompanhamento para entender melhor essa obra, mas leitura obrigatória para todos os amentes dessa banda.

Blake detalha a trajetória do "Pink Floyd" desde as primeiras reuniões em pubs de Cambridge até a última apresentação no "Live 8", em 2005. O autor se concentra “nas personalidades das pessoas que fazem a música, nas memórias e nas impressões daqueles que estão ao seu redor” e dessa maneira relata os primeiros dias do grupo, os maiores sucessos e explica causas e consequências das brigas entre os integrantes da banda.




“Leitura imperdível para quem curte rock e é amante do Pink Floyd.” — Wallace Van Loon. Proprietário do The Wall Café, fundador e baterista da banda Columbia Rock.

Sobre o livro:

Título: "Nos Bastidores do Pink Floyd".
Autor: Mark Blake
Tradutor: Alexandre Callari
Preço: R$ 59,90
Páginas: 456
Edição: 1ª

Sobre o autor:


*Mark Blake é jornalista, escritor e também o autor da biografia musical de 2007, "Pigs Might Fly: The Inside Story de Pink Floyd", publicado pela Aurum Press (disponível sob o título "Comfortably Numb: The Inside Story de Pink Floyd", nos Estados Unidos). Conta orgulhoso, que o primeiro show que assistiu foi do "Pink Floyd", em Londres, em 1980. Seu trabalho tem sido publicado em vários jornais, revistas de música e de estilo de vida desde 1988, incluindo Q , The Times , Mojo , e Music Week.

Ele é editor-chefe das revistas Q e Mojo, edições especiais e livros. Especialista, escreve sobre bandas de rock para as mais importantes revistas de música, e já entrevistou personalidades como Roger Waters, Paul McCartney, Kurt Cobain, Bono, Ozzy Osbourne e Robert Plant.

Editou o livro Dylan: Visions, Portraits and Back Pages and Punk: The Whole Story , publicado pela Dorling Kindersley em 2004 e 2005. "Stone Me: The Wit & Wisdom Of Keith Richards", foi publicado pela Aurum Press em 2008.

Seu livro mais recente foi: "Is This The Real Life: The Untold Story of Queen", também pela  Aurum Press, em outubro de 2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

David Gilmour


Por gentileza informe links quebrados - Please report broken links

Nome

E-mail *

Mensagem *