.

.

18/11/12

Barry Miles, biográfo de "Pink Floyd Primórdios" está no Brasil.


Uma parte importante da contracultura está no Brasil. O inglês Barry Miles, 69, autor, jornalista, ativista e agitador cultural dos anos 60 e 70, amigo pessoal de Roger Waters, Paul McCartney, Allen Ginsberg e dos poetas "beat", está em Olinda (PE) para a Fliporto e depois irá a São Paulo e ao Rio autografar e debater "Jack Kerouac - King of the Beats", a biografia que escreveu sobre o autor de "On the Road".

Falar sobre os anos 60 sem mencionar Barry Miles é impossível. Em 1966, ele foi um dos fundadores do "International Times", um dos jornais alternativos mais importantes da Inglaterra.
Fundou também a Indica, galeria e livraria, que teve Paul McCartney como um de seus primeiros clientes e onde John Lennon conheceu Yoko Ono.

Miles é autor de mais de 30 livros, incluindo biografias de McCartney, Frank Zappa, Bob Dylan, Ginsberg e Kerouac. Escreveu dois volumes de memórias, "In the Sixties" e "In the Seventies" e publicou o importante "London Calling", sobre a história da contracultura londrina desde 1945.Na "Swinging London" dos anos 60 ele foi fundador de um importante jornal alternativo, o "International Times", e da galeria de arte onde John Lennon conheceu Yoko Ono, a Indica.

Um evento organizado por Miles em prol do jornal foi encabeçado pelo Pink Floyd e se transformou em um dos mais importantes acontecimentos da história da psicodelia, o "14 Hour Technicolour Dream" (The 14 Hour Technicolour Dream).

Como personagem central da efervescência dos anos 60, Miles tem uma visão crítica sobre a percepção, muito em voga hoje em dia, de que a década foi marcada só por loucuras e delírios.

"Muito do que se fala sobre os anos 60 --a liberdade sexual, a intensa experimentação com drogas-- só aconteceu, de fato, nos anos 70", diz. "Nos anos 60, não havia sequer pelos pubianos em fotos de revistas, era um tempo muito pudico e reacionário."

Miles esteve muito próximo de ídolos da música dos anos 60. Foi gerente do Zapple, o subselo da gravadora Apple, dos Beatles. O Zapple foi criado para lançar discos experimentais e falados, mas fechou depois de apenas dois lançamentos.

Miles foi uma espécie de "mentor" de McCartney quando este passou a se interessar por arte de vanguarda, no fim de década de 60. Apresentou o beatle a gente como Ginsberg e William Burroughs. Acabou escrevendo, em 1997, "Many Years From Now", a biografia oficial do músico.

O escritor está em Olinda (PE) para a Fliporto e depois irá a São Paulo (dia 19) e ao Rio (dia 21) autografar e debater "Jack Kerouac - King of the Beats", a biografia que escreveu sobre o autor de "On the Road".

O autor, que morou na casa de campo de Ginsberg no estado de Nova York, no início dos anos 70, quando foi contratado pelo poeta para organizar seus arquivos, elogiou "Na Estrada", a adaptação que o diretor Walter Salles fez de "On the Road".

"Gostei muito do filme, acho que ele (Salles) fez um ótimo trabalho de reconstituição da época e capturou bem o espírito libertário da história", diz o autor.

Sobre sua relação com o Pink Floyd, o autor, Barry Miles, viu a banda tocar quando eles ainda eram chamados The Pink Floyd Sound e escreveu o primeiro artigo feito sobre eles para um jornal alternativo de Nova York em 1966. Miles acompanhou o progresso deles, de uma banda de covers de R&B até se tornarem a força musical lendária que criaria um dos álbuns de maior sucesso de todos os tempos - The Dark Side of the Moon. Ele também conheceu socialmente os membros da banda, testemunhou o declínio rápido de Syd Barrett e se envolveu ativamente na organização de alguns dos shows mais importantes do grupo. Então, aqui está a história autêntica e irresistível do grupo que forneceu a primeira trilha sonora da Londres alternativa e iniciou no mundo do rock uma combinação radical de música, espetáculos de luzes e efeitos pirotécnicos no palco. 

Barry Miles nasceu em 1943, em Cirencester, Inglaterra. Ele é autor e empresário. Nos anos 1960, trabalhou na Better Books. Depois, criou a Indica Gallery and Bookshop, onde teve contato com muitas das estrelas do cenário social da Swinging London. Miles conheceu Paul McCartney e colocou-o em contato com as pessoas que queriam iniciar o International Times, que McCartney ajudou a fundar. Miles se tornaria, mais tarde, o administrador do selo de curta duração Zapple Records, da Apple, e escreveu, em 1998, a biografia oficial de McCartney, Many Years from Now. Com John Hopkins, Miles organizou o The 14 Hour Technicolor Dream, um concerto realizado em 29 de abril de 1967, no Alexandra Palace, para angariar fundos para o International Times. O evento, liderado pelo Pink Floyd, contou com a presença de poetas, artistas visuais e músicos, como Yoko Ono e John Lennon. Miles publicou o livro Hippie, que aborda a subcultura hippie vivenciada pela geração dos anos 1960 ao início dos 1970, com entrevistas, citações e imagens.

Atualmente, Miles prepara uma biografia de William Burroughs, que será lançada em 2014, ano do centenário de nascimento do escritor. Miles teve acesso até aos arquivos de internações psiquiátricas de Burroughs. "Os relatórios médicos sobre a saúde mental dele são fascinantes", diz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

David Gilmour


Por gentileza informe links quebrados - Please report broken links

Nome

E-mail *

Mensagem *