.

.

23/10/13

King Crimson – EleKtrik : Live in Japan (2003) DGM



Happy With What You Have To Be Happy With 


Um show antológico da última formação do King Crimson em 2003 no Japão referente à turnê do 'The Power To Believe', a aura ritualística para uma apresentação da banda estava no ar. A entrada de Fripp, e sua preparação na introdução gira num misto de suspense e dramaticidade, todos os movimentos meticulosamente calculados. 'Introductory Soundscape' se processa apenas com o líder no palco, executando notas extremamente atmosféricas.

O grupo mostra um entrosamento ímpar e o processo de comunicação é perfeito, o destaque dessa parte introdutória com 'Level Five' fica a cargo da simbiose entre os solos de Robert Fripp e o baixo incendiário de Trey Gunn. 'ProzaKc Blues' é a música perfeita para os exercícios vocais de Adrian Belew, que além de cantar, têm sua própria alma personalizada na guitarra.

A performance de 'Happy With What You Have To Be Happy With' apesar de curta, é incrível, o vocal de Belew é simplesmente fantástico, acompanhado de alucinantes efeitos e acústica perfeita de encontro a criatividade num solo de guitarra espetacular sob a regência a base de riffs vigorosos e pesados sincronizados em perfeita harmonia. Pat Mastelotto, espelha em seu semblante toda carga que impõe a bateria, outro grande destaque, afinal de contas toda a condução desses experimentos, inclusive alguns efeitos eletrônicos estão a seu cargo, tocando bateria de forma intensa e muito criativa, provando porque é considerado uma fera no meio, algo difícil de esquecer. Fripp, pode ser visto numa extremidade do palco sentado com seus olhos voltados para o grupo transbordando felicidade pelo climax da energia explosiva que a canção proporciona de forma quase insana, o que em seu mundo criativo particular, mais parece um sopro de equilíbrio do que o conceito contrário de ser são.

'Elektrik' apresenta o arsenal de experimentalismos do grupo, excelente set instrumental com destaque para o jogo de pratos de Masteloto em sintonia perfeita com a guitarra de Belew e seu arsenal criativo. 'One Time' deixa a platéia respirar e reprogramar os sentidos, depois do frenesi instrumental que o grupo imprimiu no número anterior, os belíssimos vocais de Belew que sabe dosar agressividade e sentimento de forma equilibrada, aqui é só sentimento, alçando voos de inspiração tão preciosa que o climax do velho (jovem?) Crimson na condução de Greg Lake, tais como 'Epitah', transpõem a barreira dos tempo como despertando de um sono profundo.

'Facts Of Life', 'The Power To Believe II (Power Circle)' e 'Dangerous Curves' perfazem um espaço introspectivo na apresentação do grupo, com diversos efeitos eletrônicos, espaciais e psicodélicos, numa viagem impressionante. A precisão e técnica de Fripp na execução das notas na guitarra que o fizeram uma lenda viva perpetuarão-se assim como antigas escrituras conduzem o mundo no plano que lhes cabe, o solo ao final deste set instrumental beira o absurdo tamanha é a velocidade. A emendada com 'Larks' Tongues In Aspic: Part IV' é propícia para o encaminhamento final, há de se destacar a bateria categórica de Mastelotto, num misto de Bruford e Muir, realizando os diversos sons nos instrumentos percusivos com muita propriedade e criatividade. O solo de Trey Gunn no baixo disposto na horizontal é um dos melhores momentos do show, muito feeling, lembrando um jardineiro podando os locais mais complicados em torno dos lambris onde as trepadeiras tanto gostam de estar. Não por acaso fora extremamente aplaudido ao fim deste momento pungente. O público oriental, exalta o seu ingresso neste mundo complexo que verve em outras dimensões, pois parece que esses elementos constroem um cosmo paralelo.

'On Time' aporta no palco provando que é a grande balada dessa formação, a interpretação de Belew como sempre é hiper pungente. 'The World's My Oyster Soup Kitchen Floor Wax Museum' é mais um daqueles rocks desvairados que Belew tanto gosta de compor e tocar, aqui ele é o rei! Com destaques novamente para os efeitos percusivos de Pat Mastelotto. Boa audição!



Dangerous Curves



King Crimson 
EleKtriK - Live In Japan 2003

Tracklist▼

1 Introductory Soundscape
2 The Power To Believe I: (A Cappella)
3 Level Five
4 ProzaKc Blues
5 EleKtriK
6 Happy With What You Have To Be Happy With
7 One Time
8 Facts Of Life
9 The Power To Believe II (Power Circle)
10 Dangerous Curves
11 Larks' Tongues In Aspic: Part IV
12 The World's My Oyster Soup Kitchen Floor Wax Museum 



The Power To Believe II


Credits▼
  • Drums [Traps And Buttons] – Pat Mastelotto
  • Guitar – Robert Fripp
  • Guitar [Warr], Bass Guitar [Fretless Warr Guitar] – Trey Gunn
  • Guitar, Vocals – Adrian Belew


EleKtriK


Mp3 - 320 Kbps - 48 kHz
mediafire - (142,48 MB)

FLAC
mediafire.PT1 - (195,17 MB)
mediafire.PT2 - (157,92 MB)
mediafire.PT3  - (123,39 MB)



Robert Fripp
O som harmônico da natureza no seu eterno movimento mostra como King estando notas à frente de seu tempo, emerge da decepção à mais pura harmonia como uma oração jogada ao vento. Escutar os sons da terra é comparável a magia que tem esta música e ao dom que oferece a criação quando a harmonia reina em nossa alma. A ausência pelo cotidiano ou modo de vida é um metafórico contra-sentido no processo de crescimento em que hipoteticamente vivemos; som e silêncio interior sobre camadas ofuscado.


Um comentário:

Obrigado por sua participação!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

David Gilmour


Por gentileza informe links quebrados - Please report broken links

Nome

E-mail *

Mensagem *