.

.

16/08/13

Gentle Giant - Gentle Giant (1970) Japan SHM-CD 2010



Este excelente álbum de estréia do Gentle Giant é marcante, original e de longe o mais acessível disco dentre os clássicos da banda. A história do Gentle Giant começa com uma banda chamada de "Simon Dupree and the Big Sound" formada em 1966 por 3 irmãos: Phil, Derek e Ray Shulman, o pai também era músico e faziam muitos ensaios juntos, chegando inclusive a gravar um álbum, "Presentin Simon Dupree and the Big Sound" editado pela Capitol Records. A formação era: Derek nos vocais, Ray na guitarra, Phil no saxofone, além de Tony Ransley nas baterias e Pete O´Flaherty no baixo.

Pelo final de 1969, os Shulmans terminaram a Simon Dupree e lançaram seus olhares sobre o crescente fascínio do meio musical por uma música mais criativa, inteligente e complexa que viria a ser chamada de rock progressivo. Surgia então em 1970 o "Gentle Giant" junto com Martin Smith, Kerry Minnear, e Gary Green, para se tornar uma das maiores bandas no gênero. 

O novo grupo começou a fazer um som mais experimental e instigante, reservado à um seleto grupo músicos inovadores, tais como "Pink Floyd", "King Crimson", "Van der Graaf Generator", "Le Orme", "ELP", etc., e distinto da maioria do que se conhecia em termos de música. Dentre as características marcantes do grupo incluíam, vocais múltiplos e dessincronizados, (As estruturas internas criadas para cada uma das vozes, contribuíam separadamente, para a estrutura polifônica), rápidas mudanças de tempo, compassos de alta complexidade diversificados dentro duma mesma canção, melodias extensivamente elaboradas, e com harmonias frequentemente contrastando devido à dissonância. 

O vasto uso de instrumentos musicais não convencionais, como instrumentos medievais e renascentistas (Clavicórdio, Cravo, Alaúde, Harpa...) e até mesmo criados pelos próprios membros (como o "Shulberry", inventado por Derek Shulman), foi outro componente distintivo à maioria de sua época. Estruturas musicais contrapontísticas tipicamente associadas à música erudita clássica, como fugas e madrigais, e música erudita contemporânea atonal do começo do século XX.

Letras complexas, recheadas de conteúdo altamente conotativo, de difícil interpretação e compreensão, por vezes fantásticas, muitas delas fazendo referências a livros, como os do autor francês François Rabelais (escritor prestigiado por alguns membros da banda). Muitos críticos comparam a inovação do "Gentle Giant" para o rock progressivo com a que os "Beatles" representaram para o rock na década anterior.

"Gentle Giant" é conhecida como a banda de rock progressivo paradigmático, uma referência do segmento. Com uma musicalidade incomparável, eles foram tão longe como nunca ninguém o fez dentro do gênero no âmbito experimental, navegando sobre a música clássica de câmara, medieval, symphonic prog, jazz, rock e blues. A capacidade destes músicos multi-instrumentistas deu um caráter tão dinâmico à sua música, que estabeleceu parâmetros para várias gerações chegando até os dias de hoje. Eles exploraram moogs, Mellotrons e Fender Rhodes como poucos. Já para não falar de outros instrumentos como oboés, violinos, violoncelos, harpas, entre outros. A banda foi capaz de vivenciar a gloriosa década de 70, estabelecendo novos níveis ao rock progressivo de excelência com obras-primas como "Three Friends", "Octopus", "In A Glass House", "The Power And The Glory" e "Free Hand",  evoluindo o seu estilo ao longo dos anos e mantendo a qualidade como poucas bandas conseguiram fazer.  

Foi o único álbum da banda na lista da Billboard 200, ocupando o 48º lugar. Dentre os destaques, há criações da mais pura beleza e refinamento, como a introdução de “Funny Ways“, um dos maiores clássicos da banda e um trabalho simplesmente estupendo no arranjo de cordas, e a belíssima "Nothing At All". Boa audição!



Full Album


Gentle Giant
1970 Gentle Giant 
Universal Music Japan SHM-CD 2010
Catalog No. UICY-20126
Vertigo / Mercury / Universal Records
Ⓟ 1970 & 2010 © Mercury Records Ltd.
(UK) Universal International
A Universal Music Company
Made in Japan


Tracks Listing:

1. Giant (6:22)
2. Funny Ways (4:21)
3. Alucard (6:00)
4. Isn't It Quiet And Cold? (3:51)
5. Nothing At All (9:08)
6. Why Not (5:31)
7. The Queen (1:40)


Total Time: 36:57


Line-up / Musicians

- Gary Green / lead guitar, 12 string guitar
- Kerry Minnear / keyboard, some bass, cello, lead vocals, backing vocals, some tuned percussion
- Derek Shulman / lead vocals, backing vocals, some bass
- Phil Shulman / sax, trumpet, recorder, lead vocals, backing vocals
- Ray Shulman / most bass, violin, some guitar, percussion, backing vocals
- Martin Smith / drums, percussion




FLAC
hotfile.pt1 (201,20 MB)
hotfile.pt2 (195,50 MB)
ou
uloz.to.pt1- (198,62 MB)
uloz.to.pt2 - (73,30 MB)
ou
uploading.pt1 - (189,42 MB)
uploading.pt2 - (71,80 MB)
Mp3 - 320 Kbps - 48 kHz
uploading - (109,41 MB)
ou
uloz.to - (114,73 MB)


Gentle Giant biography
Formed on the late 60's by the Shulmman brothers, Gentle Giant is known as the paradigmatic progressive rock band. With an uncomparable musicianship, they went as far as no one ever did into unexplored grounds in the progressive music, navigating over dissonant 20th-century classical chamber music, medieval vocal music, jazz and rock. The multi-instrumentation capabilities of the musicians gave such dynamic to their music, which set parameters to a whole coming generation up to these very days. They explored Moogs, Mellotrons and Fender Rhodes usage with such majesty! Not to mention other instruments like oboes, violins, cellos and horns among others.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

David Gilmour


Por gentileza informe links quebrados - Please report broken links

Nome

E-mail *

Mensagem *