.

.

08/05/14

King Crimson: Live in Detroit (1971) SBD




 Formentera Lady

Esta é a segunda de duas apresentações no Eastown Theater em Detroit, desta formação do "King Crimson", a primeira incursão da banda nos EUA promovendo o lançamento da obra-prima "Islands", que viria um mês depois. A qualidade, notável para a época, é de um excelente soundboard. E a apresentação, primorosa.

Escrevendo no encarte deste álbum (KCCC 18), lançado em 2001, "Ian Wallace" observa: "De todos os concertos ao vivo da banda que presenciei até agora, eu acho que este tem, de longe, o melhor som. Também é uma representação sonora da banda no auge de seu potencial". 

David Singleton observa "O vínculo com público após a execução de "Pictures" é algo impressionante". Quanto a versão bluesy de "In The Court Of The Crimson King" "Wallace" explica sua origem: "Cansados de ter que ouvir as pessoas gritando "Epitaph" e "In The Court..." a banda revidou. 'Então você querem "In The Court Of Crimson King? Bem provem isso, seus bastardos! E o que você ouve a seguir é uma versão hilariante e original de uma canção familiar que poderia ser intitulada In The Court... de B.B. King. Será que irá satisfaze-los? Duvido. Sem dúvida uma alusão sarcástica, e ainda nos divertimos." 

"Boz" brinca com o público: "Se vocês estão batendo palmas, então batam palmas no momento adequado - não comprometam..."  

Embora tentando se divertir, a frustração da banda à sombra de '69 é evidente, durante uma tentativa inicialmente diplomática de "Fripp" buscando controlar a multidão. "Boz", por outro lado apenas diz ironicamente: "Àqueles que latem por 'Court...' e 'Epitaph', calem a boca" 

O não menos sarcástico "Ian Wallace" ainda apimenta a situação quando pergunta "Vocês estão satisfeitos?", depois da versão bluezy particularmente beligerante de "In The Court...". Se alguma vez houve um caso improvável da banda na relação com público, de certo, este é singular.

Temos aqui um desempenho que exemplifica com ousadia, a movimentação improvisata, e a tenacidade sonora deste quinteto que está tão profundamente enraizado no pós-bop e no free-jazz. Eles enriquecem o crescente movimento do rock progressivo demonstrando que para gênero parece não haver limites. Esta mini-turnê seria a última a envolver o membro fundador e genial poeta e compositor "Peter Sinfield". Seu trabalho ao meu ver incluiu contribuições líricas incomparáveis, jamais superadas, e ainda sendo responsável pela engenharia de som, iluminação e organização nas turnês da banda. 

"Formentera Lady" e "Sailor’s Tale", ao meu ver se destacam com contribuições primordiais de "Robert Fripp" e "Ian Wallace", além é claro do eclético "Mel Collins", cujo talento é uma referência ímpar dentro do progressivo, além de fundamental ao estilo pesado e feroz da banda durante a turnê. Acho que esta apresentação é digna da grandeza do "King Crimson" em seus melhores dias. Boa audição!



Cirkus



King Crimson
Live in Detroit (KCCC18)
East Town Theatre, 
November 13, 1971.

Track List:

CD1

01. Pictures of A City – 9:02
02. Formentera Lady – 9:08
03. Sailor’s Tale – 5:59
04. Cirkus – 9:14
05. Ladies of the Road – 7:54
06. Groon – 17:49

CD2

01. 21st Century Schizoid Man – 13:21
02. Mars – 13:22
03. In the Court of the Crimson King – 3:31
04. Lady of the Dancing Water – 2:25


Line-up:
Boz Burrell / bass, lead vocals
Mel Collins / flute, saxophone, mellotron
Robert Fripp / guitar, mellotron
Ian Wallace / drums, vocals
Peter Sinfield / words, sound & visions




Groon

FLAC
mediafire.CD1.pt1 - (195,45 MB)
mediafire.CD1.pt2 - (164,32 MB)
mediafire.CD2.pt1  - (182,29 MB)
mediafire.CD2.pt2  - (20,81 MB)

Mp3 - 320 Kbps - 48 kHz
mediafire.CD1 - (118,28 MB)
mediafire.CD2 - (75,33 MB)

Sailor's Tale

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

David Gilmour


Por gentileza informe links quebrados - Please report broken links

Nome

E-mail *

Mensagem *